Digite sua busca

Preservação da fertilidade feminina

Preservação da fertilidade feminina

Até ontem, mulheres em tratamento oncológico tinham suas chances de gravidez reduzidas em mais de 90%. Atualmente as novas técnicas de Reprodução Assistida permitem a mudança deste cenário. Neste sentido, a Clínica Vilara, especializada em medicina reprodutiva, está introduzindo, através de suas parcerias internacionais, um Programa de Preservação da Fertilidade para pacientes que serão submetidas a tratamento oncológico, assim como para mulheres que desejam adiar a gestação, seja por motivos próprios, sociais, laborais ou problemas de saúde.

Anteriormente, os protocolos de indução ovariana, etapa inicial dos tratamentos de Reprodução Assistida, quando os ovários são estimulados a produzir vários óvulos, eram considerados fatores agravantes para determinados tipos de câncer. Além disso, a incapacidade de armazenar os gametas femininos (óvulos) com bons resultados impossibilitava a preservação da fertilidade das mulheres antes de se submeterem a um tratamento de radioterapia ou quimioterapia. Estas novas técnicas que estão sendo implementadas para a estimulação ovariana, permitem que se obtenham óvulos de forma segura, não interferindo no tratamento oncológico a que estas mulheres podem estar sujeitas. Isto significa que as mulheres, que têm um diagnóstico de câncer, podem ter seus ovários estimulados com o objetivo de preservar a sua fertilidade.

Convém salientar que outra indicação para estas novas técnicas é a possibilidade de preservação da fertilidade em situações em que são previstas cirurgias ovarianas agressivas (por exemplo, tratamento cirúrgico de endometriose) por motivos não relacionados com doenças oncológicas ou por razões outras em que a maternidade será adiada. Para que estes protocolos possam ter bons resultados é necessário contar com uma boa técnica de congelamento de óvulos. Anteriormente, a técnica de congelamento dos gametas femininos era lento, com redução da temperatura gradual, tendo uma duração de mais de 2 horas.

A nova técnica introduzida chama-se vitrificação, um processo muito mais rápido e com menores riscos de lesão celular. Esta técnica já vem sendo aplicada na Clínica Vilara de forma rotineira para a crioprservação de embriões com resultados excepcionais. Agora, a novidade, é a utilização desta mesma técnica para o armazenamento dos óvulos. As taxas de sucesso são muito boas com uma sobrevivência dos óvulos congelados de cerca de até 90% e índices de gravidez em torno de 50% em pacientes com idade até 35 anos, estes resultados são praticamente os mesmos obtidos com óvulos não congelados.

Todas estas inovações foram possivés graças à parceria internacional com o centro de pesquisa americano Tyho- Galileo e Instituto Valenciano de Infertilidade (IVI), maior centro de Reprodução Humana da Europa.

É o primeiro passo direcionado a mulheres que querem manter a fertilidade antes de serem submetidas a tratamentos de quimioterapia e/ou radioterapia que, em grande parte das vezes, compromete totalmente a fertilidade. O procedimento é feito por meio da estimulação ovariana antes de se iniciar o tratamento do câncer. É altamente seguro e sem risco de comprometimento do prognóstico da paciente. A paciente é tratada com medicação específica com baixa dosagem hormonal – e rigorosamente monitorada para que não exista risco de agravamento do quadro clínico do câncer.

O câncer é uma doença muito frequente entre crianças e jovens, podendo estimar que aproximadamente 10% dos casos da doença acontecem na infância e na idade fértil, considerada ente os 15 e 45 anos. A maioria dos tumores que afeta esta faixa etária apresenta alta taxa de cura, principalmente os germinais, linfomas e leucemias. Mas pelo fato de o tratamento do câncer ser agressivo, um dos grandes problemas dos sobreviventes é o comprometimento da fertilidade feminina e masculina, conhecida como menopausa precoce, nas mulheres, e ozoospermia, nos homens. Ou seja, essa técnica é mais um grande avanço da medicina de vanguarda que garante uma sobrevida normal para pacientes que enfrentaram algum tipo de câncer.

Um dos desafios da Clínica Vilara com esse programa é esclarecer médicos de outras áreas principalmente pediatras, ginecologistas, oncologistas e urologistas – sobre a segurança do método, levando
informações sobre sua disponibilidade e importância. Muitos médicos não têm conhecimento de que é possível preservar a fertilidade mesmo depois de um câncer e, por isso, não alertam seus pacientes. Assim, muitas mulheres e homens perdem a chance de se tornarem pais porque não sabem que existem tratamentos alternativos para esse fim.

Escrito por Marco Melo