Estima-se que cerca de 10% dos tumores malignos ocorram em pessoas jovens, em idade fértil. Entretanto, devido aos avanços nas medidas preventivas, na detecção precoce e nos tratamentos destes tumores, a taxa de sobrevivência dos pacientes tem alcançado números animadores, variando entre 60-90%, dependendo do tipo de câncer e estádio da doença no momento do diagnóstico e início do tratamento. Apesar destes avanços, os esquemas terapêuticos ainda continuam agressivos, trazendo consigo como grave seqüela, a falência ovariana precoce.

Em virtude disto, na última década foram desenvolvidos alguns protocolos com alto nível de segurança para a realização de estimulação ovariana em pacientes oncológicas que serão submetidas a tratamento químio- e/ou radioterápico.

O Corpo Clínico da Vilara- Clínica de Reprodução Assistida tem experiência na condução destes casos, havendo participado de Programas de Preservação da Fertilidade em importante Centro de Reprodução Humana europeu.

Voltar