Digite sua busca

Nova técnica de diagnóstico genético pré-implantacional

Nova técnica de diagnóstico genético pré-implantacional

Nova técnica de diagnóstico genético pré-implantacional

Uma nova técnica acaba de ser acrescentada a este arsenal de diagnósticos genéticos nos tratamentos de Reprodução Assistida, é a chamada CGH Array (hibridização genômica comparada), nesta técnica, os 23 pares de cromossomos podem ser analisados em uma única célula embrionária biopsiada. Trata-se de uma grande evolução, já que, pela primeira vez, todos os pares cromossômicos são estudados, desta forma, mais uma vez a expectativa no meio científico com relação aos resultados é muito grande.

Tal como na época em que o PGD-FISH começou a ser utilizado, espera-se um aumento das taxas de gravidez com uma redução quase a zero dos abortamentos, já que um dos principais fatores envolvidos está sendo avaliado, as aneuploidias. Os primeiros resultados são muito animadores. A casuística ainda é pequena, mas a taxa de gravidez observada, até o presente momento, tem sido elevada com uma taxa de abortamento baixíssima.

Como toda técnica, esta também apresenta algumas limitações, não é possível detectar as triploidias, ou seja, aumento de um cromossomo em todos os pares (69XXX/69XXY) e nem as translocações balanceadas, porém estas são causas menos freqüentes de abortamentos e, no caso das triploidias, estas, podem, em grande parte das vezes, serem detectadas durante o cultivo embrionário realizado durante o tratamento de Fertilização in vitro.

A técnica de CGH não é totalmente nova, no início dos anos 90 ela começou a ser utilizada, porém, os resultados demoravam alguns dias para serem obtidos (cerca de 72 horas) o que limitava o seu uso apenas para casos de biópsias em zigotos (pré-embriões com um dia pós fertilização) pois os embriões devem ser transferidos no máximo até o sexto dia de cultivo. Para o emprego desta técnica nos demais estágios se fazia obrigatório o congelamento dos embriões para uma programação futura da transferência embrionária.

Com o CGH Array o resultado é obtido com cerca de 24 horas após a biópsia embrionária o que permite a transferência dos embriões normais no mesmo ciclo. Como toda técnica nova o CGH Array necessita de uma casuística maior para evidenciar o quanto ele nos será útil como ferramenta para aumentar as taxas de gravidez e reduzir as perdas fetais precoces. Os resultados iniciais são muito promissores. Tudo indica que este desenvolvimento das técnicas de Diagnóstico Pré-Implantacional será a revolução desta nova década que se inicia.