Vila da Serra - +55 31 2342-0700 Varginha - +55 35 3222-2752
Seg à Sex, de 08:00 às 18:00 – Sáb de 08:00 às 12:00

NOVIDADES NOS TRATAMENTOS DE INFERTILIDADE: CLÍNICA VILARA NO ESHRE 2019

Data da publicação: 09/07/2019

No mês de junho, entre os dias 23 e 26 de Junho foi realizado em Viena, na Áustria, o ESHRE 2019 – Congresso Europeu de Reprodução Assistida e Embriologia.

Sempre em busca de novos conhecimentos, o Diretor da clínica Vilara, Dr. Marco Melo, esteve presente e preparou um resumo dos estudos e novidades na área de Reprodução Assistida.

 

Notícia Reconfortante

No início do congresso, já recebemos uma notícia reconfortante: mulheres em tratamento que sofreram um aborto espontâneo, possuem melhores chances de sucesso na próxima FIV.

Sabemos que quando uma paciente passa por uma FIV e evolui para abortamento, experimenta um sentimento enorme de frustração. Quando conversamos no consultório, sempre ressaltamos que ter conseguido a gravidez foi um grande avanço, pois pudemos ver que houve o desenvolvimento embrionário completo e a nidação, que é a implantação do óvulo fecundado na parede uterina.

Agora, o que era dito, foi demonstrado através deste grande estudo recentemente publicado: ter um aborto melhora as chances de sucesso no próximo tratamento! Os melhores resultados ocorrem quando o novo ciclo de FIV acontece dentro dos 6 primeiros meses. Portanto: quem passou ou acabou de passar por um abortamento, tenha força! Não vamos desanimar!!

Receptividade endometrial

O endométrio é o tecido que reveste a cavidade uterina, sofrendo alterações em sua espessura de acordo com estímulos hormonais. É no endométrio que ocorre a fixação do embrião e, quando não há fecundação, este tecido sofre uma descamação, dando origem à menstruação.

Em um procedimento de FIV, para realizar a transferência do embrião é necessário que haja receptividade endometrial, ou seja, verificar o momento em que o endométrio esteja espesso e receptivo ao embrião, o que chamamos de “janela de implantação”.

No ESHRE foi apresentada uma nova proposta de avaliação do endométrio para verificar sua receptividade para o embrião. Mostrou uma análise crítica dos diversos tipos de exames existentes no mercado, ressaltando suas limitações, principalmente, resultados ainda não “sólidos” – que não se repetem. Um sinal de que estão longe de apontarem um caminho para nós, que trabalhamos com Reprodução Assistida.

 

Injúria endometrial

Explicamos acima a importância do endométrio para a fertilização.  Para melhorar a implantação dos embriões, principalmente em mulheres que já realizaram várias transferências embrionárias sem sucesso, a Injúria Endometrial tem sido um procedimento bastante utilizado.

Este tratamento consiste em realizar de maneira quase indolor para a paciente, uma pequena lesão no endométrio, que provoca o início de um processo inflamatório. Acredita-se que a resposta do organismo a este processo poderia tornar o ambiente mais propício para a implantação do embrião.

SCRaTCH trial- é o maior estudo que aborda o efeito da injúria endometrial em tratamentos de Reprodução Assistida. Foi apresentado o resultado obtido após o estudo de 900 mulheres submetidas ao procedimento. Os autores observaram que não há benefícios na realização da injúria endometrial. 

 

Novas possibilidades

Estes dias de congresso foram extremamente produtivos, inclusive em relação a estudos que comprovaram a ineficácia de alguns procedimentos. Pois é desta maneira que a ciência volta o seu olhar para novas possibilidades e podemos obter mais sucesso nos procedimentos de fertilização!

Quer saber mais sobre o que aconteceu no Congresso Europeu de Reprodução Assistida e Embriologia 2019? Acompanhe nosso blog e nossa redes sociais!



Texto revisado por:

Dr.Marco Melo / CRMMG 30246

Médico ginecologista. Membro da Comissão Nacional Especializada em Reprodução Humana-FEBRASGO, Mestre e Doutor em Ginecologia e Obstetrícia pela UFMG, Pós-doutor pelo Instituto Universitário-IVI, Universidade de Valência (Espanha), Especialização em Biologia Molecular da Implantação Embrionária pelo FIVIER (Espanha), Master em Ginecologia Endócrina e Reprodução Humana pelo Instituto Valenciano de Infertilidade (Espanha), Editor da Revista Cadernos de Medicina, Membro da Câmara Técnica de Reprodução Humana do CRM-MG. CRMMG 30246

> Currículo Lattes